imagem

“Eu sei que no futuro o trabalho vai ser diferente. Vai ser melhor.

Eu não quero viver isso. Eu quero fazer isso acontecer.

Quando falamos de futuro estamos tratando de um tempo que não existe. Estamos prevendo, planejando e construindo. Mas que ainda não é real. Talvez por isso, esse tempo gere tantas incertezas e ansiedades. E como o medo é sentimento presente diante daquilo que não conhecemos, ele marca de maneira intensa o tema futuro.

O que não podemos deixar acontecer é permitir que aquilo que não conhecemos nos domine de maneira negativa. A melhor saída é abrir a cabeça. Buscar entendimento sobre o que virá. Recursos novos, tecnologias, otimização do tempo, não precisam ser encarados como causadores do grande mal para humanidade. Estar disposto a compreender as mudanças que vão acontecer é o passo principal para uma relação mais saudável com futuro.

A tecnologia irá substituir a mão de obra humana. FAKE! A máquina terá sim um papel expressivo no futuro, como já teve anteriormente, em relação ao mercado de trabalho e otimização de processos. O ser humano não vai ser eliminado, mas ele já esta sendo convidado a mudar. A investir em competências mais importantes para o tempo que virá. Algumas atividades deixarão de existir, mas tantas outras irão surgir, criando oportunidades para quem estiver preparado.Mas para quem ficar congelado no tempo, acreditando que o futuro é um mal sem cura ficará, sem dúvida, de fora não apenas do mercado de trabalho, mas de todo processo evolutivo.

Por isso, ainda temos o tempo presente para rever conceitos e ações, com a finalidade de estarmos, não apenas prontos para um futuro que será, mas para construirmos esse futuro, através das nossas competências e habilidades.

Anúncios

Tempus Fugit

 

Metade ano post

Passamos carnaval, páscoa, copa do mundo! Ufa, será que agora é hora de começar? Para quem ainda não percebeu o ano já está mais que na metade e tem gente ainda esperando a hora certa para começar a agir. Lembra dos pedidos, desejos e metas assumidos na passagem de ano? As “setes ondas” ou os caroços de Romã, sozinhos, não farão tudo por você. Mais que acreditar é preciso fazer!

E o tempo foge mesmo. Corre veloz e se não soubermos usar esse recurso tão preciso, ficamos sem ele e sem alcançar nenhum objetivo. E depois, não teremos tempo nem mesmo para reclamar o leite derramado, pois o tempo não irá nos permitir.

Depois das más noticias, vem pela frente, uma excelente e da hora: ainda estamos na metade no ano! E se olharmos para esse fato com olhar positivo, temos chances reais de agirmos em prol do que queremos para nossa vida, antes do bom velhinho chegar com seu enorme saco vermelho. Por isso, mais do que fugir, temos tempo ainda para reprogramar e colocar a mão na massa.

Retome o que listou para o seu 2018. Veja o que pode ser recuperado e recalcule a rota. Priorize com muita racionalidade e chegará a conclusão que pode fechar o ano com saldo positivo. O que não vale é ficar parado, reclamando não entender como os outros conseguem e você não. E tenho uma breve suspeita sobre o porquê conseguem: porque estão em movimento com seus desejos! Borá fazer a roda girar! Ainda tem muito 2018 pela frente. Não desperdice seu tempo.

De quem é a responsabilidade?

de quem é a responsabilidade.jpg

Quero mudar de emprego! Não estou satisfeito com o que ganho! Não me sinto valorizado! Minha vida não está como gostaria que estivesse!Não fiz o curso que queria! Não tenho o relacionamento que tanto sonho! De quem é a responsabilidade? Do governo? Da minha família? Do meu chefe? Da minha empresa?Na maioria das vezes somos tendenciosos a atribuir sim, a esses e a outros incontáveis responsáveis, e acabamos rodando em círculos, sem encontrar o que de fato queremos.

Hora de abrir a cabeça e o coração e avaliar com muito critério essa tal responsabilidade. Apontar para o outro é um caminho muito fácil, contudo muito perigoso.Se está na mão do outro, como posso fazer para gerar a mudança? Continuando agindo dessa forma, acabamos limitando nossa vida e nossos desejos.Vamos, lentamente, engrossando o caldo dos injustiçados e frustrados.A nosso única contribuição passa a ser com aumento desse triste índice.

Mas haveria então outra forma de agir e pensar? Claro e sempre! Trazendo a responsabilidade para si. Elencando os pontos que são favoráveis ou não e mensurando o quanto eu mesmo contribuo para tudo que não me faz bem. Você poderá se deparar com uma parcela pequena, média ou grande, mas nunca não encontrará nada. Com isso, o que antes era inviável, pois estava na responsabilidade do outro agir, passar a ser completamente passível de mudança, uma vez que está em suas mãos.

Trazer a responsabilidade para si, não aumenta a sua carga ou culpa. Muito pelo contrário, trás possibilidades imediatas de mudança. E se é isso que você precisa para alcançar sonhos e desejos, hora de arregaçar as mangas e jogar o jogo do sincero consigo mesmo.

 

O que você quer para sua vida profissional?

Tomar uma decisão nem sempre é fácil. Fazer escolhas implica em perdas. E quando falo em escolhas, essas transitam desde as mais complicadas até as mais simples, como quando escolhemos a roupa que vamos vestir. Ao escolher determinadas peças, deixamos as inúmeras outras para trás, abrindo mão de outras possibilidades. Mas na vida, escolher é necessário e não podemos fugir.A proposta então é nos tornarmos capazes de fazer escolhas de maneira mais assertiva.

O primeiro passo é saber o que se quer. Como posso tomar uma decisão, se não tenho definido, de maneira clara, o que quero e preciso. Não saber torna o processo mais doloroso, uma vez que o índice de insegura é alto. E a bem da verdade, insegurança doí e doí muito! Só sabe quem já sentiu…! Sendo assim, entender suas necessidades levarão você a fazer escolhas de maneira mais positiva.

Podemos sinalizar como segundo passo, a necessidade de se ter um plano. Como vou conseguir o que quero ou preciso? Caso esse roteiro não exista ou o seu “GPS” esteja com defeito de fabricação, a frustração será,  inevitavelmente, sua companheira de viagem. E toda vez que se sentir frustrado, vai parar e perder tempo, afastando a assertividade do seu caminho.

Está satisfeito com minha vida profissional? Quer ou precisa mudar? Sua carreira não está bem desenhada e por isso se sente inseguro? Se as respostas a essas perguntas foram positivas, hora de fazer escolhas. E como você já conhece os passos iniciais, arregace as mangas e mude. Busque orientação para construção de um novo caminho. O que não vale é ficar parado, levando uma vida que não foi feita por você e para você. O poder de decisão é todo seu!

 

 

CHOVENDO VAGAS RESPONDE

cropped-logo-chovendo-vagasO Chovendo Vagas quer aproximar você cada vez mais do mercado de trabalho. 

Envie suas dúvidas sobre como se relacionar melhor com o trabalho. Construir uma carreira é um processo nada fácil, e estamos aqui para apoiar você! 

Você acessa o Chovendo Vagas pelo face, insta, youtube e pelo nosso Blog.

Um abraço e sucesso sempre!  

Superpoder: Pragmatismo

Está ai um super poder que muito importante para nossa vida profissional e pessoal. Ser pragmático nos faz mais assertivos e ágeis. Objetivo no lance é fator de sucesso na certa.Assim como a falta dele pode gerar perdas significativas. Bora pensar juntos sobre?
Esse é o quarto episódio da série “Superpoderes”, inscreva-se e acompanhe em primeira os próximos episódios!

Superpoder: Equilíbrio Emocional

Fazer Gestão das Emoções é mais que necessário para nosso fortalecimento pessoal e profissional. Alerta máximo para capacidade que temos de criar expectativas! Esse é um grande vilão no controle de nossas emoções. Quer desenvolver esse superpoder?Bora lá com Chovendo Vagas!
Esse é o terceiro episódio da série “Superpoderes”, inscreva-se e acompanhe em primeira os próximos episódios!